ENTREVISTA SANDRA DOURADO, Divinus Gourmet e Dourado Distribuição, Évora

A força de enfrentar a paralisação súbita do mercado e um futuro duro e inesperado

Eng. Sandra Dourado, Empresária, Sócia Gerente da Dourado Distribuição e da Loja Divinus Gourmet em Évora. Fala-nos nesta pequena entrevista sobre a paralisação abrupta no mercado dos vinhos devido à Pandemia de Covid19 e o refúgio no canal online como o mais importante, para comercialização e comunicação com o consumidor.

” O português tem uma capacidade fantástica para se reinventar, não fica de braços cruzados à espera que aconteça”

 

 

A Divinus Gourmet encerrou ao público devido à pandemia COVID-19, no entanto mantiveram os serviços através da vossa loja online. Na sua opinião de que forma é que estas plataformas digitais contribuem para mitigar os efeitos negativos?

Fomos obrigados a encerrar a Loja física Divinus Gourmet por medida de precaução, neste caso, o canal digital é o nosso único veículo de comunicação e venda com o cliente. Permite-nos manter de alguma forma a nossa atividade, e dizer que continuamos ‘por cá’. As vendas online aumentaram, mas retratam um valor muito baixo comparativamente às vendas na loja física cuja grande parte das receitas devem-se essencialmente ao turismo. No caso da Dourado Distribuição, mantivemos o Armazém aberto com horário reduzido, bem como, o comércio online. Continuamos a comercializar para o Mercado Nacional e Exterior, sente-se o mercado a abrir novamente, mas muito devagarinho. Temos consciência que a normalidade ainda está longe …

 

Atualmente existe uma preocupação muito grande com a economia global. Como podem os empresários e comerciais eborenses agir a nível local de forma a sobreviverem financeiramente? Quais as perspectivas para o comércio local?

Em Fevereiro, com 35 anos de atividade da Dourado Distribuição e 11 anos de abertura da Loja Divinus, sentíamos e tínhamos a perspectiva de futuro  imediato “Dourado”, bastava manter o mercado conquistado do Alentejo. Entretanto tudo paralisou abruptamente, e o futuro agora espera-se duro… Penso que vão ser tempos difíceis para o comercio local, pois Évora assim como muitas outras cidades, tiveram um crescimento económico muito favorável devido ao aumento do turismo, agora com as limitações nas fronteiras não se irá recuperar o perdido nestes meses. As ajudas financeiras que nos prometem podem chegar tarde de mais e não nos ser possível voltar a abrir portas.
O português tem uma capacidade fantástica para se reinventar, não fica de braços cruzados à espera que aconteça, estávamos a acabar de sair de uma grande crise e muitas pessoas ficaram sem trabalho e começaram a fazer coisas que nunca tinham pensado fazer na vida.

 

…sentíamos e tínhamos a perspectiva de futuro  imediato “Dourado”, bastava manter o mercado conquistado do Alentejo.

 

Os ‘diretos’ no Instagram estão a tornar-se a nova tendência para o consumo de conteúdos, e muitos empresários estão a ter iniciativas para manter as suas marcas ativas assim como a relação com os seus consumidores. As PROVAS DE VINHOS DO ALENTEJO recentemente organizadas pela Dourado Distribuição em parceria com a BeOnCity, são um exemplo disso. Como está a ser a experiência, o feedback e que benefícios a iniciativa pode trazer para os produtores de vinho?

 

Estamos a ter um feedback muito positivo da parte dos produtores pela iniciativa, na 1ª edição tínhamos pensado em 3 provas e acabaram por ser 15! Iniciámos as provas comentadas em direto a 5 de Abril e está para breve já a 2ªEdição, devido ao número de solicitações por parte dos Produtores com interesse em participar. No aspeto do alcance e contacto com o cliente, tem sido muito bom e também se tem refletido no aumento de vendas online. É uma forma de continuar a ter contacto com o produto e a fazer provas, só que agora, cada um na sua casa. Os produtores têm oportunidade de falar do projeto que representam, não só para as 20 ou 30 pessoas que estão numa sala, mas sim para um leque muito mais abrangente e de todo o mundo.

A experiência a nível do dinamismo e iniciativa, tem sido reconhecida também a nível Empresarial, estamos a ser convidados para Webinares de motivação de Empresas para dar o nosso testemunho e contributo, e isso é um excelente reconhecimento do nosso trabalho.

 

Estamos a ter um feedback muito positivo da parte dos produtores pela iniciativa, na 1ª edição tínhamos pensado em 3 provas e acabaram por ser 15!

 

Visto que são esperadas dificuldades no canal HORECA, qual é a expectativa em relação à distribuição em hotelaria, restaurantes e cafés versus a venda ao cliente final?

Adoraria que os nossos hotéis, restaurantes e cafés voltassem a estar cheios, para podermos ter estabilidade económica e pagar as nossas contas, mas como isso deverá demorar algum tempo a acontecer, gostaríamos de estimular a venda de vinho junto dos restaurantes que estão a fazer takeway e assim conseguirmos de alguma forma chegar ao consumidor final.

                               

Dourado Distribuição, Armazém e Loja aberta ao público.

Adoraria que os nossos hotéis, restaurantes e cafés voltassem a estar cheios, para podermos ter estabilidade económica e pagar as nossas contas…

 

Na sua opinião o que irá mudar no day after? Quais serão os riscos e as oportunidades de negócio pós-COVID19?

Penso que cada vez iremos olhar mais e dar valor para o que é nacional para não estarmos tão dependentes “dos outros”, valorizando o que é nosso para que a nossa economia possa crescer.

 

Temos consciência que a normalidade ainda está longe …

 

 

PRÓXIMA, CONTEMPORÂNEA E MUITO DIGITAL

Estamos empenhados em partilhar curiosidades e interesses sobre Évora e o Alentejo sem sair de casa.

#BeAtHome até voltarmos todos BeOnCity